Páginas

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Manefastos Dadaesmos participa da 66ª Reunião da SBPC em São Carlos na UFSCar






O projeto autoral da aluna de Licenciatura em Artes Visuais, cotista de escola pública, Alissa Gottfried, âncora da Ecoaecoa Coletivo, recebeu bolsa de pesquisa PiBiC durante o ano de 2013, oferecida pela profa. Andrea Hofstaetter quando cursou a disciplina de Elaboração de Materiais Didáticos para ensino de Artes Visuais. Em 2014 o projeto foi apresentado no XXVII SIC com o nome: Manefastos Dadaesmos - Manifesto Ecoaecoa Coletivo 2.0 e além ser premiado como destaque, foi indicado ao prêmio Jovem Pesquisador UFRGS e ganhou na categoria Artes, Letras e Lingüística. No ano seguinte o projeto foi indicado pela Divisão de Projetos e Grupos de Pesquisa/Editais Externos junto com mais 6 alunos premiados no SIC mas foi o único projeto a ir representar a UFRGS na 66ª Reunião anual da SBPC - Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência. A aluna foi por meios próprios e pelos fato de ter ido sozinha não conseguiu vaga no alojamento da UFSCar pois as vagas no alojamento eram reservadas só para grupos de 5 pessoas, mas chegando na SBPC Indígena, através da solidariedade da comunidade acadêmica indígena foi incluída no alojamento exclusivo para índios.

domingo, 7 de junho de 2015

Além da "cidade inteligente"

1. Tornando-se de recursos: uma introdução
Ao entrarmos numa terceira década do julgamento popular com a idéia da computação em rede, qualquer noção de uma divisão entre o físico eo virtual está se mostrando cada vez menos defensável a cada dia que passa. Vagarosamente no início, mas com força crescente, as coisas comuns e os lugares que têm constituído as cidades em torno de nós uma vez que não foram coisas como as cidades estão se identificando com a rede mundial de informática, ou sendo identificados a ela.
Objetos do mundo real e arranjos de objetos, estruturas e locais, eventos e situações: todos esses estão adquirindo representações no espaço virtual da rede.
No entanto, ainda de longe o maior número dessas representações são passivas - as descrições, realmente. Estas descrições deixar os objetos em questão apenas a capacidade mais limitada para ter em conta um do outro, adaptar-se às circunstâncias de uso, ou não responder às condições de evoluir.
Mas ele não precisa terminar aí, e não devia. A cidade em rede só entrar em seu próprio uma vez que foi recriada como um quadro de recursos ativos, cada um dotado de algum tipo de presença, estruturado em formato digital e as possibilidades de interação isso leva.
Que tipo de interação? Nós podemos aprender coisas com eles. Podemos aprender coisas sobre elas. Podemos dizer-lhes para fazer coisas. Considerada como uma multiplicidade de tais recursos, a cidade torna-se um vasto superfície habitável informação ativa.

Tramar o Ultramar - Descartografia e Mapeamento Colaborativo




Com Tramar o Ultramar, pensando a relação entre território e subjetividade expandida, a Ecoaecoa Coletivo faz uma descartografia ecosófica envolvendo árvores, colagens e mídias digitais livres.

domingo, 31 de maio de 2015

67ª. Reunião Anual da SBPC


Manefastos Dadaesmos será o único trabalho de pesquisa dos 10 premiados no SIC 2014 a representar a UFRGS na http://www.sbpcnet.org.br/saocarlos/home/
com o projeto aluna de licenciatura em Artes visuais do IA, cotista de escola pública ganha prêmio jovem pesquisadorx da UFRGS.

Educação popular de mãos dadas com o movimento software livre


A educadora popular Alissa Gottfried está sempre atrás de uma brecha para hackear o sistema. Por isso, aliar o software livre às suas práticas de ensino e aprendizagem acabou sendo algo natural. Fundadora da editora coletiva EcoaEcoa, Alissa desenvolve ações de arte e literatura com jovens da periferia. "Não tem como usar windows trabalhando com estes temas. É uma questão de coerência".

Na tarde desta segunda-feira (3) Alissa esteve no estúdio da Rádio Software Livre na 60ª Feira do Livro de Porto Alegre para falar sobre suas atividades e projetos. Durante a entrevista, a educadora falou sobre o  conceito de escola 2.0, o trabalho colaborativo com a molecada e sobre o seu não-livro, entre diversos outros assuntos.
Durante o bate-papo, Alissa também detalhou os passos que seguiu até criar a EcoaEcoa. "Depois de alguns anos de oficinas literárias com as crianças, inclusive analfabetas, surgiu a necessidade de termos uma editora para publicar livros de maneira prática e totalmente artesanal", contou.

ouça a entrevista no link:

http://softwarelivre.org/…/educacao-popular-de-maos-dadas-c…

Manefastos - colagem em diálogo

https://www.youtube.com/watch?v=l1l_FFfAf4s

Ecoaecoa fez essa colagem em diálogo com a colagem feita na Escola Mário Quintana na Restinga se preparando pro lançamento do Não Livro Manefastos Dadaesmos no Salão da UFRGS.

Ecoaecoa na Feira do Livro 2014





Ecoaecoa conversou na Feira do Livro de 2014 com a Rádio Software Livre sobre o processo criativo do Não Livro do projeto Manefastos Dadaesmos - Manifesto Ecoaecoa pela Escola Expandida 2.0.
Ouça aqui: http://softwarelivre.org/…/educacao-popular-de-maos-dadas-c…














Lógica Lua

Lógica Lua - colagem coletiva analógica e digital de Jocelaine, Lucas e ecoaecoa na Escola América [Latina] - 2014

Salão de iniciação Ciêntífica da UFRGS - 2014






Projeto Manefastos Dadaesmos -Salão de iniciação Ciêntífica da UFRGS em 2014: destaque e Prêmio UFRGS Jovem Pesquisador com melhor projeto na área Letras, Linguística e Artes.